Dia do Folclore – 22 de Agosto

Por Coletivo Leitor - 18 ago 2021 - 5 min

O Dia do Folclore é celebrado no Brasil no dia 22 de agosto desde 1965, quando foi oficializado por lei. A palavra “folclore” tem origem no inglês antigo, folk significa povo e lore, cultura. A junção desses dois termos, portanto, refere-se à ideia do saber tradicional de um povo, suas tradições culturais, crenças, costumes, danças, canções e lendas.

Para falar sobre o tema, o artigo de hoje dá a palavra ao escritor da casa Ricardo Azevedo, ganhador de diversos Jabutis e cujos vários de seus livros abordam formas literárias sobre as raízes dos contos populares. No Brasil, segundo o autor, a cultura popular é diversificada, heterogênea e heterodoxa e apresenta as mais variadas facetas nas diferentes regiões do país. Melhor seria tratá-la no plural, como culturas populares. E é por meio de histórias que essas mesmas culturas criaram (e criam) mitos com o objetivo de tornar compreensíveis e interpretáveis a existência humana e tudo o que existe. A seguir, um trecho do texto de sua autoria “Conto popular, literatura e formação de leitores”, que fala um pouco mais sobre o assunto e que pode ser lido na íntegra neste link.

“Ao contrário do que se poderia pensar, o fato de serem de ficção e poderem conter aspectos mágicos e de encantamento, nem de longe tira dos contos populares sua extraordinária capacidade de abordar a vida concreta e, mais ainda, de especular sobre ela. Tanto assim que neles nos deparamos com princesas que nascem mudas e recuperam sua voz quando encontram o homem por quem se apaixonam. Pessoas que deitam-se na cama e ficam “adormecidas” até serem despertadas por um sentimento forte. Mães ou madrastas que, ao notarem que suas filhas cresceram e tornaram-se mulheres, mandam matá-las. Injustiças e transgressões. Gigantes que abusam de moças feitas prisioneiras em castelos. Irmãos que mentem e traem. Pais que tentam desposar suas próprias filhas. Heróis tolos que fazem tudo errado, mas mesmo assim se dão bem. Moças ou moços que não conseguem rir e se dispõem a se casar com alguém que saiba alegrá-los. Traições, ciúmes, orgulhos, mentiras, vaidades, vinganças, invejas e ódios. Heróis malandros. Enigmas e adivinhações. Heróis que arriscam a vida e colocam os interesses da coletividade acima dos seus interesses pessoais. Lutas de fracos contra fortes. Animais que falam e se comportam como gente. Seduções de todo o tipo. Heróis que tentam enganar a morte. Pactos com o diabo e seus preços. Homens sábios. Príncipes e princesas que lutam para escapar de castelos no fundo do mar. Pessoas e cidades transitoriamente transformadas em pedra. Sinas e manias. Moços que precisam aprender a linguagem dos pássaros para conquistar suas amadas. Truques e ardis. Heróis transformados em animais ou monstros em busca de sua identidade perdida. Não é pouco!

Através dos contos populares, chamados também de contos de encantamento, de fadas etc., temos a oportunidade de entrar em contato com temas que dizem respeito à condição humana vital e concreta, suas buscas, seus conflitos, seus paradoxos, suas transgressões e suas ambiguidades. 

Na minha visão, os contos populares, independentemente de rótulos como “cultura popular”, “folclore” e outros, podem ser considerados uma excelente introdução à literatura pois nada mais fazem do que trazer ao leitor, de forma acessível e compartilhável, enredos, imagens e temas recorrentes na ficção e na poesia. 

É muito bom quando alguém – principalmente se for um jovem – descobre que, além de regras, informações e lições, um livro pode abordar os temas da vida humana concreta. Terá, creio, uma boa chance de tornar-se um leitor e, mais, cheio de entusiasmo diante do que leu, indicará o texto a seus amigos, contribuindo assim para a formação de outros leitores.”

Que tal conhecer alguns dos livros de nosso acervo que tratam da temática do folclore e cultura popular? Confira:

Meu livro de folclore, de Ricardo Azevedo 

Esta premiada coletânea reúne contos, ditados, adivinhas, trava-línguas, personagens e outras manifestações do nosso folclore. Uma obra que chama a atenção para a literatura oral brasileira, acompanhando a criança na descoberta desse rico universo cultural.

Cantos de encantamento, de Elias José 

Organizado em duas partes, Os encantamentos da terra e Os encantamentos das águas, os poemas deste livro nasceram do amor do autor pelo folclore brasileiro. Poemas ternos, líricos, bem-humorados, brincalhões colocam diante do leitor seres mitológicos e lendas do nosso folclore, numa visão emocionada e original.

Festas, de Marcelo Xavier

Agora também com CD de áudio, o livro aborda as origens e características das festas populares brasileiras; os vários tipos de festas populares; as influências e adaptações que as festas receberam ao longo dos anos; as crenças, a fé e a alegria que movem essas festas; o folclore brasileiro: origens, manifestações, influências no nosso cotidiano etc.; modelagem e escultura; criação e construção de cenários.

Compartilhe: