Proclamação da República - Como trabalhar o evento histórico na escola

Proclamação da República – como trabalhar o evento histórico na escola

Por Amanda Viegas - 11 nov 2019 - 6 min

No dia 15 de novembro é comemorada a Proclamação da República, anualmente, desde 1889. Esta data marca um período de grandes transformações no cenário político e social do país. Foi a transição da Monarquia Constitucional Parlamentar para o início da República Federativa Presidencialista.

Pensando nisso, preparamos este artigo para contextualizar a origem dessa comemoração e mostrar como eventos históricos como este podem ser celebrados na escola. Além disso, separamos alguns exemplos de livros que contam histórias que se passam naquela época. Confira!

O que significa a Proclamação da República

A Proclamação da República é celebrada no dia 15 de novembro. A Proclamação aconteceu em 1889 e quem proclamou a república no Brasil foi Marechal Deodoro da Fonseca, o primeiro presidente do Brasil. A Proclamação da República instaurou o regime republicano no país, finalizando a monarquia do Império e foi resultado de uma mobilização de republicanos civis e do Exército contra a monarquia que regia o país desde 1822.

Os historiadores tratam tal acontecimento como um golpe, em vista que foi uma transição de regime forçada que não contou com a participação popular. Atualmente, o dia 15 de novembro é considerado feriado em todo o território brasileiro.

O processo da Proclamação da República

O regime monárquico existiu no país entre 1822 e 1889. Durante esse período, o Brasil teve como imperadores D. Pedro I e D. Pedro II. Contudo, a partir da década de 70, esse regime começou a entrar em crise devido a vários fatores como:

  • O autoritarismo, falta de demoraria e escassez de liberdades econômicas que faziam parte do regime monárquico não refletiam mais aos anseios da população. A sociedade estava em progresso e almejavam mudanças e avanços sociais e políticos;
  • Forte descontentamento dos militares brasileiros que não se sentiam reconhecidos pelo esforço na Guerra do Paraguai. Além disso, os militares estavam insatisfeitos com suas remunerações e a censura imposta devido a rumores de corrupção na corte;
  • Insatisfação com o regime por parte da Igreja Católica, elite agrária, classe média e profissionais liberais;
  • Fortalecimento do movimento republicano, sobretudo no Sudeste.

A Proclamação da República aconteceu na até então, capital do país, o Rio de Janeiro. O Marechal Deodoro da Fonseca liderou o golpe que instaurou a República Federativa e Presidencialista no Brasil. Neste mesmo dia, foi instaurado o governo provisório do qual Deodoro da Fonseca assumiu a presidência.

Conheça os livros publicados no período da Proclamação da república

Muitas obras foram escritas durante o período da Proclamação da República, como uma forma de explorar o contexto histórico e social da época. Dentre muitos autores, Machado de Assis é um nome bastante relevante a respeito da temática.

Machado aborda o tema de fatos históricos e rumos políticos em torno da Primeira República, em alguns capítulos de seu penúltimo romance, Esaú e Jacó. Essa obra tem como protagonistas Pedro e Paulo, gêmeos opostos, apesar de idênticos. Os irmãos são rivais em todos os aspectos da vida, inclusive no amor. Algumas frases do livro que foram utilizadas para descrever a Proclamação da República se tornaram clássicas, como:

O povo mudaria de governo, sem tocar nas pessoas.

 

Nada se mudaria; o regímen, sim, era possível, mas também se muda de roupa sem trocar de pele.

 

Uma outra obra com esta temática é o “Triste fim de Policarpo Quaresma”, uma adaptação de José Louzeiro, da obra de Lima Barreto. A história de Policarpo Quaresma, um major de hábitos regulares, se passa no início da República no Brasil. Ele tem como lazer estudar a pátria e, devido ao seu acentuado nacionalismo, Quaresma é colocado em um hospício, considerado ter uma “loucura perigosa”. Contudo, ele acaba descobrindo que a Pátria que ele tanto venerava era um mito. Todo o enredo é construído com a finalidade de ser uma sátira sobre um Brasil burocrático.

Os Cavalos da República, de Moacyr Scliar, traz a história do bisneto de Rafael, que encontra um diário de seu bisavô, no dia do seu aniversário de 13 anos. Seu relato traz momentos marcantes e históricos dos acontecimentos sociais e políticos do país, como o dia que Marechal Deodoro da Fonseca sai às ruas do Rio de Janeiro para proclamar a República.

Saiba como trabalhar eventos históricos em sala de aula

Além do feriado da Proclamação da República, existem diversos outros que fazem parte do calendário nacional. Além de ser um momento de celebrar e/ou comemorar essas datas, é uma ótima oportunidade de trazer para a escola atividades sobre a temática que enriquecem o processo de ensino-aprendizagem. Mais que celebrar, o ideal é trazer a história por trás dessas datas e propor dinâmicas para a participação dos estudantes.

Alguns exemplos de como eventos históricos podem ser explorados na aula:

  • Propor debates;
  • Leitura de livros;
  • Produção de textos;
  • Criação de um jornal;
  • Construção de um calendário anual com os principais feriados e datas comemorativas. Sugestão: pedir para os alunos buscarem a história dessas datas.
  • Assistir a filmes e documentários sobre a temática;
  • Produzir uma peça teatral com os alunos.

Vale ressaltar que não existe uma forma correta para trabalhar esse tema na escola, cada instituição de ensino deve procurar implementar ações que condizem com sua identidade e metodologia. O mais importante é que a escola saiba que a literatura pode ser utilizada em várias disciplinas, não somente na aula específica de linguagens. As obras literárias têm muito a contribuir para o enriquecimento do aprendizado dos alunos. Conheça nossas obras!

proclamacao da republica 15 novembro

Compartilhe: