O alfabeto na educação infantil - Coletivo Leitor

O alfabeto na educação infantil

Por Coletivo Leitor - 14 ago 2019 - 4 min

Apresentar o alfabeto para as crianças é um dos momentos mais importantes da educação infantil. Afinal, a familiarização com o código é o ponto de partida para que elas aprendam, mais tarde, a ler e a escrever. Mas, para que a aprendizagem seja positiva e enriquecedora,  cumpre trabalhar o alfabeto de forma lúdica, isto é,  explorando o potencial de diversão inerente ao contato com as letras. 

 

Brincando com as letras 

 Geralmente o processo de desenvolvimento da linguagem escrita  começa por volta dos 3 anos, que é quando a criança começa a se interessar por letras, números e palavras.  

No entanto, muito antes de  compreender o sistema alfabético, as crianças levantam diferentes hipóteses sobre a escrita, distinguindo coisas como sua orientação e organização linear, percebendo correspondências entre a escrita e a fala, a variedade de caracteres e a constância na grafia das palavras, entre outros aspectos. Trata-se de um processo complexo de apropriação da escrita, que muitas vezes se expressa sob a forma de uma escrita espontânea, a qual costuma ser inibida pelos métodos tradicionais de alfabetização, conforme demonstra o trabalho de Emília Ferreiro e Ana Teberosky sobre a psicogênese da língua escrita

A fim de considerar o lugar social da escrita e os dispositivos para sua apropriação, o trabalho lúdico com o alfabeto pode, então, ser de grande valia. Veja então a seguir quatro maneiras de brincar com o código.

 

Soletrar cantando 

 Ouvir músicas que soletram o alfabeto pode ser uma excelente estratégia para facilitar a memorização das letras por meio da repetição apoiada pela melodia. . Além disso, o trabalho com canções alfabéticas favorece a socialização das crianças e tem efeitos também fora do contexto escolar, nos espaços de lazer, em casa, antes de dormir.

 

 Decorar o quarto com letras do alfabeto 

As crianças pequenas  são facilmente atraídas por elementos visuais. Assim, decorar o quarto delas com as letras do alfabeto, em formato ampliado e com cores intensas constitui mais um expediente para incentivar o contato com o alfabeto. 

 

Ímãs e massinha

Falou em brincadeira, falou em diversão; disso toda criança gosta. Melhor ainda quando a brincadeira promove a aprendizagem. Com objetos simples, como ímãs de geladeira e massa de modelar, você pode estimular a escrita.  

Com ímãs em formato de letra, a criança pode brincar de formar sílabas e palavras enquanto os pais estão na cozinha, por exemplo.

Outra ideia é brincar de alfabeto de massinha. Funciona assim: em um papel branco você escreve a letra em tamanho grande. Opte por letras que façam sentido para a criança, como as que compõem o nome dela. Em seguida, peça-lhe para cobrir a letra com massinha, acompanhando seu formato. 

 

 Leitura acompanhada

Outra maneira de aumentar a intimidade das crianças com as letras do alfabeto é ler diariamente para elas,  deixando que acompanhem a leitura visualmente. Para isso, é interessante escolher livros com mais imagens e ilustrações. Assim, elas conseguem visualizar as letras mais facilmente, associando-as  ao que estão escutando.

 O Coletivo Leitor sugere dois livros especialmente selecionados com esse propósito:  

Alfabeto dos pingos: Os pingos são sete criaturas nascidas de uma gota de tinta. No livro, eles fazem um passeio pelo alfabeto, mostrando às crianças como é divertido aprender cada letra.

Alfabeto de histórias: Gilles Eduar criou um abecê  engraçado e cheio de brincadeiras. Textos curtos mostram bichos em situações fora do comum, relacionando texto e imagem.

Compartilhe: