Livros da Ática e da Scipione selecionados pela ONU para o Clube de Leitura ODS em Língua Portuguesa

Por Coletivo Leitor - 07 jul 2021 - 3 min

Seja na escola ou em casa, estimular práticas sustentáveis faz parte do processo de ensino-aprendizagem de crianças e adolescentes. A preocupação com o meio ambiente está prevista inclusive na Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que reforça que por meio de competências socioemocionais, como empatia, responsabilidade e ética, os estudantes devem aprender sobre o uso adequado dos recursos naturais.

Os livros, além de estimular a alfabetização e o hábito da leitura, podem ser grandes aliados das famílias e dos educadores no momento de falar sobre sustentabilidade. Pensando nisso, foram reunidas obras de inúmeras editoras destinadas ao público infantojuvenil, selecionadas e divulgadas em junho pela Organização das Nações Unidas (ONU) para o Clube de Leitura dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Os ODS fazem parte da Agenda 2030, um plano de ação global criado para promover vida digna a todos na próxima década. Entre os títulos selecionados estão dois da SOMOS Educação:

Macapacarana

Selecionado pela ONU para o Clube de Leitura da ODS na categoria “Redução das Desigualdades”, Macapacarana, de Giselda Laporta Nicolelis, trata do choque cultural vivenciado por Gerson, um garoto que sai de São Paulo para morar com o pai no Amapá. Ali ele descobre outro Brasil: o mundo das matas e dos rios, do garimpo de ouro, o mundo de José, o cozinheiro indígena, e de Tocha, com quem aprende a conhecer e desvendar os mistérios da Amazônia. 

O livro é um clássico bastante premiado dos anos 1980, que ganhou uma nova edição pela editora Scipione em 2020 e que continua sendo bastante atual ao mostrar as diversidades presentes no Brasil e ao ser relacionado a questões ainda latentes como desmatamento, caça e pesca predatórias e disputas por terras que acontecem na região Norte do país.

Chapéu fora de moda

Incluso na seleção da ONU na categoria “Consumo e Produção Responsáveis”, Chapéu fora de moda, escrito e ilustrado pela britânica Emily Gravett, conta a história de Beto, um personagem que adora o chapéu que sua avó tricotou para ele quando era pequeno. A peça é tão quentinha e confortável que o menino não tem vontade de tirar e, então, seus amigos começam zombar do presente fora de moda. Se sentindo mal, Beto experimenta muitos outros chapéus tentando se encaixar nos padrões. Traduzido para nove idiomas, o livro relaciona de forma natural questões como modismo, consumismo exagerado, necessidade de seguir o que é tendência, além de explorar a importância de ser quem a gente é.

Compartilhe: