Literatura de Cordel: 4 exemplos para você conhecer

Literatura de Cordel: 4 exemplos para você conhecer

Por Coletivo Leitor - 08 jan 2019 - 5 min

A literatura de cordel é uma das formas literárias mais tradicionais no país,  principalmente no nordeste brasileiro. Apesar de ser muito comum no Brasil, esse não é um gênero que se originou aqui. O cordel veio aos nossos povos como uma herança de Portugal, em meados do século XVIII, tomando forma definitiva no fim do século XIX, no nordeste do país.

A seguir, veremos como ele surgiu e quais são suas principais características. Além disso, você poderá conhecer algumas obras do cordel.

Como nasceu a literatura de cordel?

O cordel nasceu em Portugal, no século XVI, durante o Renascimento. Esse foi o momento no qual a impressão de relatos começou a se popularizar. Isso porque, até então, as histórias, poesias e contos eram repassadas apenas por meio da oralidade. Como consequência desse avanço literário, tem-se o início da comercialização de folhetos e a  disseminação deles.

Dessa forma, os autores de cordéis, conhecidos como trovadores, expunham suas criações em bancas, feiras e mercados. Esse hábito deu nome ao movimento literário, visto que para sua comercialização, as obras eram penduradas em cordões (cordéis).

Principais características

Esse é um formato literário muito tradicional e, ainda que muito antigo, mantém muitas de suas características desde o seu surgimento. Abaixo listamos alguns dos aspectos mais fortes e peculiares da literatura de cordel.

1. Oralidade: como já mencionado, a literatura de cordel remete ao início da comercialização de folhetos impressos. Como essa tradição surgiu em uma época em que os relatos orais eram muito fortes, ela carrega essa característica em sua narrativa até os dias de hoje.

2. Ilustrações em xilogravuras: estilo de ilustração utilizado na Europa no século XV com intuito de caracterizar baralhos e imagens sagradas, a xilogravura é uma das peculiaridades mais marcantes da literatura de cordel.

3. Temática: por remeter a uma época que se escrevia sobre o cotidiano, a literatura de cordel tende a abordar lendas, religiosidades e fatos históricos. Algumas temáticas exploradas nos cordéis brasileiros, por exemplo, são as histórias de Lampião e de Getúlio Vargas.

4. Poética: os textos da literatura de cordel são escritos de acordo com uma estrutura ritmada e pré-estabelecida. Podem apresentar as seguintes classificações quanto ao número de versos

  • Quadra – estrofe de quatro versos;
  • Sextilha – estrofe de seis versos;
  • Septilha – estrofe de sete versos;
  • Oitava – estrofe de oito versos;
  • Quadrão – estrofe de oito versos, na qual os versos rimam da seguinte forma: os três primeiros entre si; o quarto com o oitavo; o quinto, o sexto e o sétimo entre si;
  • Décima – estrofe de dez versos;
  • Martelo – estrofes formadas por decassílabos.

Exemplos de obras da literatura de cordel

Alguns livros literários reúnem grandes obras do cordel e são uma ótima forma de disseminar a leitura desse gênero de marcas culturais tão fortes. Separamos quatro exemplos para você conhecer:

O valente e o domador  

Ótima opção para incentivar as crianças a ler, esse livro tem como tema o mundo do circo. Os macacos, os leões e os elefantes obedecem ao estalar do chicote do valente domador no primeiro sinal de sua presença. Nesse contexto, o livro traz uma reflexão, questionando se esse é de fato um sinal de valentia ou não.

Feira de versos: poesia de cordel

Essa obra consiste em uma coleção de grandes momentos desse gênero da literatura nacional. A partir da junção de cordéis de três grandes escritores do gênero, o livro é uma opção de leitura atual e pertinente.

No reino do vai não vem: uma viagem ao mundo do cordel

Este é um ótimo livro para ser trabalhado em sala de aula para abordar conteúdos culturais. A história traz a aventura do narrador-personagem, que sai em busca da sua rabeca Veridiana que sumiu e sem ela não há criação.

Para encontrá-la, ele precisará ir ao “Reino do vai não vem”, um lugar cheio de encantos, poesia popular e personagens marcantes. Trata-se de uma imersão ao mundo do cordel.

O jumento e o boi em cordel

Uma das características mais fortes da literatura de cordel pode ser percebida na capa deste livro. Apresentado com uma xilogravura, essa obra transita entre o formal, o informal e o regional.

Com um tema cotidiano, abre discussões sobre trabalho, dever, responsabilidades e esperteza. Além disso, a obra traz uma reflexão sobre a exploração do trabalho no país.

Literatura de cordel: patrimônio cultural do Brasil

Em 2018, o Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural aprovou por unanimidade o registro da literatura de cordel como patrimônio imaterial e o tombamento do Acervo Arthur Bispo do Rosário como patrimônio material.

Como a literatura de cordel pode incentivar a leitura

A literatura de cordel é uma ótima forma de incentivar a leitura, porque traz temáticas cotidianas e com fortes elementos da cultura nacional, de maneira dinâmica e rítmica. As obras citadas são alguns exemplos desse gênero que trazem essas características. 

A literatura de cordel é uma ótima escolha para compor o acervo de uma biblioteca escolar. Assim como essa, outras várias escolhas farão você ter um acervo bem estruturado. Para saber um pouco mais sobre como planejar a sua biblioteca escolar, elaboramos um material com dicas para criá-la e organizá-la. Para entender clique na imagem abaixo e aproveite as dicas que separamos.

 

CTA _ montar acervo da escola

Compartilhe: