Festa junina e a sua importância para o calendário escolar - Coletivo Leitor

Festa junina e a sua importância para o calendário escolar

Por Coletivo Leitor - 26 jun 2019 - 4 min

O Brasil é um país marcado por várias características e uma delas é a tradição das festas populares, que acontecem todos os anos, em épocas específicas. Um desses tradicionais eventos é a festa junina, que pode ser trabalhada pelas escolas como fonte de disseminação de conhecimento para os alunos. Faz parte do nosso folclore, marca nossa identidade e possibilita compreendermos como construímos nossa memória cultural e social.

 

Festa junina: como surgiu a tradição

Apesar de atualmente fazer parte da cultura brasileira, a festa junina foi trazida para o país pelos portugueses, na época do período colonial. Além disso, muitos aspectos são influências de outras culturas, como a dança, chamada de quadrilha, trazida pelos franceses, assim como a comida, que tem o milho como principal ingrediente cuja origem é indígena. Outro exemplo são os fogos de artifício, trazidos para o Brasil pelos chineses. 

O Nordeste é a região na qual mais se comemora a festa junina, e estados como Pernambuco, Maranhão e Paraíba sediam o maior número de eventos. Alguns deles são muito famosos, como o São João de Caruaru, o Bumba-Meu-Boi e o São João de Campina Grande. Todos os anos eles, literalmente, arrastam multidões para celebrar a tradicional festa junina.

A festividade, que inicialmente acontecia apenas no mês de junho, é tão comemorada que passou a se estender para o mês de julho, por isso o calendário do povo brasileiro é marcado pelas festas juninas e julinas. O evento também se relaciona à tradição católica e, por isso, é chamado por muitos de Festa de São João, santo homenageado no mês de junho.

Muitos  aguardam ansiosamente essa época do ano, pois há decoração com bandeirinhas coloridas, fogueira, caldos, paçoca, pé de moleque, danças e tantos outros aspectos típicos da festividade que mexem com o coração dos brasileiros. 

 

Importância das festas juninas para o calendário escolar

Mas participar da festa junina não é só colocar um traje caipira, dançar quadrilha e se esbaldar nas comidas típicas. A festança é uma fonte de contato com elementos históricos, religiosos e mitológicos. É uma manifestação cultural que se relaciona a questões sociais e culturais das regiões brasileiras. 

Por isso, além de ser uma  atividade lúdica, a festa junina pode ser utilizada como um elemento pedagógico. Ou seja, os professores podem aproveitar a celebração para fornecer aos alunos conteúdos educativos que se relacionam à temática. Afinal, dia de festa também pode ser um dia de aprendizado.

Portanto, além de estimular a integração e a socialização dos alunos, os professores podem recorrer  aos aspectos típicos das festas juninas para promover a empatia e o conhecimento. 

Por exemplo, a celebração que usa  elementos caricatos do caipira pode ser um meio utilizado pelos docentes para desmitificar o homem do campo. É um momento para o professor  mostrar a realidade e ressaltar a importância das atividades dos cidadãos rurais para a sociedade como um todo. 

Além disso, a escola pode aproveitar o espaço para abordar questões históricas e para mostrar a diversidade cultural e contrastes da sua região ou do país. 

 

A festa junina em diálogo com  uma das competências gerais da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) 

Entre as competências gerais da BNCC, a terceira apresenta que é fundamental “valorizar e fruir as diversas manifestações artísticas e culturais, das locais às mundiais, e também participar de práticas diversificadas da produção artístico-cultural”. Ou seja, por meio de um trabalho estruturado e sistematizado com a temática da festa junina é possível envolver a comunidade escolar e promover eventos de cunho cultural. Trabalhar com textos jornalísticos ou literários também ajuda a potencializar as reflexões dos envolvidos de modo a proporcionar o entendimento da importância de socializar opiniões e ampliar o olhar sobre o tema em questão.

Então, que tal unir o “anarriê” às disciplinas e promover diversão, entretenimento, interação e muito conhecimento na instituição escolar?

Compartilhe: